O que vem por aí na mesa do brasileiro depois de 1 ano e meio de pandemia - Duas Rodas

Notícias

31 de agosto de 2021

O que vem por aí na mesa do brasileiro depois de 1 ano e meio de pandemia

No primeiro dia do fórum digital DR Tá na Mesa 2021, Raquel Ferreira, News Business e Account Diretor da Kantar, e Andrea Bisker, CEO e fundadora da consultoria Spark: Off Brasil, falaram sobre as tendências e comportamentos de consumo que devem promover o crescimento da indústria de alimentos e bebidas no futuro próximo 

São Paulo, agosto de 2021 – Maior interesse em consumir alimentos com benefício à imunidade e bem-estar, mais tempo dedicado ao preparo de refeições em casa e crescimento exponencial na compra de produtos por meios digitais foram algumas das transformações significativas no comportamento do brasileiro no início da pandemia. Mas 1 ano e meio depois, com o avanço da vacinação permitindo maior flexibilização das restrições, ao mesmo tempo em que a inflação deixa o bolso dos consumidores “mais apertado”, como ficaram os hábitos alimentares da população? E mais: o que está por vir na mesa do brasileiro num futuro próximo? 

Para responder a essas perguntas, o DR Tá na Mesa 2021 – Alimentando ideias, nutrindo o futuro, fórum digital promovido pela multinacional brasileira Duas Rodas, líder nacional na fabricação de aromas e ingredientes para a indústria de alimentos e bebidas, convidou as especialistas Raquel Amancio de Oliveira Ferreira, New Business and Account Director da Kantar, e Andrea Bisker, CEO e fundadora da consultoria de inovação e tendências Spark: Off Brasil.  

Elas abriram a rodada de eventos que seguem até o dia 2 de setembro e contarão com outros profissionais reconhecidos para tratar de assuntos de relevância para o mercado de alimentos e bebidas. 


A especialista da Kantar iniciou sua apresentação contextualizando alguns fatores que podem impulsionar o consumo, como a previsão mais otimista para o PIB, com crescimento estimado de 5,3%, a prorrogação do auxílio emergencial e o avanço da vacinação no país. Por outro lado, o desemprego crescente, o aumento do endividamento das famílias, a inflação e a cotação do dólar em alta são grandes desafios do momento atual pontuados por ela. “Todos esses fatores devem ser correlacionados com as perspectivas de crescimento e com o bolso do consumidor que tem feito esforços para driblar esses desafios” acrescentou Raquel.  

 
Na sequência, ela trouxe um panorama sobre as mudanças de comportamento do brasileiro nos últimos meses quando o assunto é consumo de alimentos e bebidas. 


Um dos pontos de destaque é a inclusão de itens práticos e indulgentes na rotina. “Vimos o consumidor se dedicar mais ao preparo de alimentos, 2 minutos a mais por refeição durante a pandemia. Foram em média 30 minutos cozinhando por refeição, versus 28 minutos. E isso se refletiu em novos hábitos. Passados os primeiros meses, no entanto, o brasileiro buscou mais praticidade e vemos categorias que se sobressaem e permanecem ganhando penetração”, explicou Raquel.  

 
Alguns alimentos passaram a estar mais presentes nos lares dos brasileiros, como batata congelada, empanados e itens de presuntaria. Ao mesmo tempo, ingredientes para o preparo de pratos mais demorados, como farinha de trigo, apresentam retração em todas as classes sociais, indicando que hábitos fortes do começo da pandemia – como preparo de pães caseiros, por exemplo – estão mudando.  

 
O fato é que o brasileiro incrementou mais momentos de consumo dentro de casa e três ocasiões permanecem fortes de acordo com pesquisa da Kantar: o café da manhã, o almoço e o jantar. “O brasileiro retomou o hábito de estar à mesa com sua família, e prioritariamente o café da manhã é um hábito que veio para ficar”, destacou Raquel. 


Demanda por itens de alto valor agregado 
Até o fim de 2020, os produtos premium estiveram mais presentes na mesa do brasileiro, o que indica uma demanda latente por itens de maior valor agregado. Por isso, também é importante pensar em estratégias para estimular esse consumo mais sofisticado. 

“Para manter produtos indulgentes e práticos na mesa, o consumidor lança mão das marcas de preço intermediário. As classes C, D e E se esforçam para manter produtos premium na mesa, quebrando inclusive alguns paradigmas de que produtos mais sofisticados são para um público de alta renda”, complementou a especialista da Kantar. Neste sentido, as promoções têm influenciado esse consumo e se revelaram uma alavanca importante para venda desses itens. 

Outro comportamento que ganhou destaque nos últimos meses foi o crescimento dos clubes de assinatura de alimentos e bebidas, ressaltou Andrea, da Spark: Off: “No Brasil, aumentou a procura por clube de assinaturas de alimentos e a maior demanda foi por alimentação saudável, seguida por outras categorias como cafés e chás, além dos vinhos.” 


Veganismo: tendência que já é realidade 

No Brasil, 4 a cada 100 pessoas aderiram ao veganismo após a pandemia, conforme dados apresentados pela CEO da Spark: Off. “É 4% da população, 7,6 milhões de pessoas, além de outras 28% tentando reduzir o consumo de carne”, acrescentou Andrea, que levou exemplos de marcas que já estão com produtos com novas fontes de proteínas vegetais nas prateleiras, como Sadia e o McDonald’s que lançou o McPlant.  

“O bem-estar animal é a mais comum preocupação para aqueles com idade entre 12 e 18 anos. Sua marca está de olho nesse movimento que cresce cada vez mais?”, provocou Andrea. 


Adotar uma agenda sustentável é determinante para muitos consumidores 

A cada 3 brasileiros, 1 está disposto a pagar mais por produtos fabricados de maneira ambientalmente correta, mostram dados apresentados pela CEO da Spark: off Brasil. “E mais: 66% dos brasileiros entrevistados em pesquisa feita pela IBM Institute for Business disseram estar dispostos a mudar seus hábitos de consumo para reduzir problemas ambientais”, acrescentou Andrea. 

Estas informações, reforçou a CEO, sinalizam para algo que está cada vez mais evidente: o compromisso das marcas com a sustentabilidade pode ser determinante para muitos consumidores, que enxergam mais valor em marcas que defendem causas ambientais e esperam um posicionamento. 

Exemplos nesse sentido não faltam e ela pontuou alguns deles, como o Carbon Climate Butikin, um mercado onde os produtos têm preços definidos conforme a quantidade de emissão de CO2 para sua produção, e a cerveja Colorado Amazônica que varia de preço conforme o desmatamento da floresta, entre outras inovações. São o que a especialista chamou de “comportamentos eco-éticos”. 

Ela também destacou em sua fala a importância de práticas de ESG – que traduzido do inglês significa Governança Ambiental, Social e Corporativa.  


Consumidor está racionalizando muito mais suas compras 
Quando o assunto são as compras, o brasileiro está indo quase 7% a menos nos pontos de venda. E quando vai, racionaliza muito mais suas compras, ou seja, é bastante criterioso na hora de escolher o que vai levar para casa.  

Segundo Raquel, neste cenário, é importante a marca ficar cada vez mais atraente no ponto de venda, entender quais são as ocasiões de consumo que estão despontando, além de se pensar em parcerias mais significativas entre varejo e indústria para ter maior ganho e aproveitar os momentos em que o consumidor vai até a loja.  


Os canais mais buscados pelos brasileiros na hora da compra 

O brasileiro tem ido mais ao pequeno varejo de autosserviço, redes de canais varejistas locais e atacarejos, onde concentram suas compras do mês. Portanto, é necessário estar presente nesses canais pensando em estratégias de crescimento para fechar 2021 em cenário positivo, reforçou Raquel.  
 
O consumidor buscou compras de proximidade, pequenos varejos ou lojas menores, onde gasta seu ticket disponível naquele momento. As compras também passaram a ter menos itens e um ticket médio menor, o que mostra que o brasileiro tem feito compras mais fragmentadas.  

Quanto ao e-commerce, que teve seu pico no terceiro trimestre de 2020, o cenário atual é de estabilidade. O WhatsApp vem como um modo alternativo para compras online e o aplicativo continua crescendo principalmente entre a classe média e entre shoppers mais maduros que não querem sair de casa para compras pequenas. 


As alavancas de crescimento que despontam com a pandemia 

“Temos 5 alavancas de crescimento que identificamos desde o início da pandemia, são elas: mais presença – estar nos pequenos varejos, atacarejos e WhatsApp pensando no e-commerce; novos targets, não esquecendo das classes C e D que buscam consumo inspiracional, especialmente em um cenário em que o volume de unidades tende a cair e o valor tende a sustentar as companhias; as categorias que predominam e se conectam com indulgência e praticidade na alimentação cotidiana; as novas necessidades dos brasileiros – destacamos as dietas para pessoas de 35 anos ou mais, a nutrição pensando em crianças e adolescentes para manter a imunidade e a saudabilidade para o público de 35 a 44 anos; e, por último, os momentos que as categorias se encaixam, com destaque para o café da manhã que foi incorporado de maneira mais forte à rotina do brasileiro na pandemia”, resumiu Raquel com base nos dados das pesquisas da Kantar. 
 

Andrea também compartilhou seus principais insights para contribuir para as estratégias das marcas e empresas visando o futuro: “investir nos aventureiros de cozinha; cultivar alianças saudáveis – fazer parcerias com outras empresas que caminham no mesmo universo; ficar de olho no veganismo: não é uma dieta única e simples; e ter em mente que saúde pessoal é igual à saúde planetária: dietas que apoiem e protejam a biodiversidade são a próxima grande onda”, concluiu. 


Hoje o tema é Conflito de Gerações 

O segundo dia do DR Tá na Mesa 2021, abre hoje, às 15h30, com Michel Alcoforado, antropólogo, PhD, especializado em consumo, comportamento e sócio fundador do Grupo Consumoteca, aprofundando o tema conflito de gerações sob a ótica das gerações Z e Y, com a palestra “Cringe é o que eu não sou: o mundo pelas lentes da geração Z”. 

Na sequência, Gabriela de Conto, Diretora de Marketing Latam da Red Bull, vai trazer a visão do mercado de trabalho, com a palestra “Como superar diferenças e tornar o convívio entre gerações mais produtivo”, abordando cases de desafios e experiências bem-sucedidas no dia a dia da gestão. 

O evento, que será realizado até quinta-feira, dia 02/09, sempre das 15h30 às 17h30, é aberto ao público, gratuito e terá abrangência para toda a América Latina, com tradução simultânea.  

Para participar, basta se inscrever pelo link: https://lnkd.in/dX4CR94d 

Confira o currículo dos palestrantes desta terça-feira (31/08): 

Michel Alcoforado – Consumoteca 
É antropólogo, PhD, especializado em consumo e comportamento, e sócio fundador do Grupo Consumoteca. Ele apresenta o mapeamento de tendências do mercado brasileiro como o comportamento do consumidor, as transformações culturais entre as diferentes gerações e as tendências de futuro. Colunista do UOL TAB e comentarista da rádio CBN, produz e participa do podcast CAOScast e Rastros, além de ter ministrado mais de 400 palestras no Brasil e na América Latina.  

Gabriela de Conto – Red Bull 
Atua na área de bens de consumo há mais de 19 anos. Formada em Publicidade e Propaganda pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e pós-graduada em Marketing Estratégico pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, também se formou no Laboratório do Futuro pela Hyper Island, em San Jose na Califórnia. Desenvolveu sua carreira na Red Bull, onde nos últimos 17 anos, atuou nas áreas de marketing, on tradebranding e insights do consumidor. Desde janeiro de 2020, é Diretora de Marketing da Red Bull para América Latina. 


Fique por dentro da programação para os próximos dias: 

Amanhã – 01/09 – Estratégias Digitais & Storytelling 

15h30 

Palestra: “Estratégias digitais e storytelling: todo mundo tem uma estória para vender” 
Martha Gabriel, escritora, futurista e especialista em marketing e design. 

Quinta-feira – 02/09 – Saúde Mental: Gestão Emocional no Trabalho 

15h30 

Palestra 1: “A importância da saúde mental no ambiente de trabalho para que as pessoas realizem seu melhor” 
Pedro Shiozawa, Médico Psiquiatra, COO & Co-fundador da Jungle XP. 

Palestra 2: “O papel do líder na gestão emocional do seu time e na criação de um ambiente de confiança, positivo e proativo, que assegure o bem-estar da equipe” 
Cauê de Oliveira, Embaixador do Giftwork e Palestrante responsável pela área de Educação de Gestores da Youleader/Great Place To Work. 

Palestra 3: “Vivências e práticas saudáveis do mundo corporativo” 
Jorge Morato, Diretor de Saúde, Segurança e Meio Ambiente da Mondelez Brasil. 

Sobre o DR Tá na Mesa 
Em sua 2ª edição, o DR Tá na Mesa 2021 foi aberto nesta segunda-feira (30/08) e vai até quinta-feira (02/09), sempre das 15h30 às 17h30, com espaço para perguntas aos palestrantes ao final, com tradução simultânea para toda a América Latina. Promovido pela multinacional brasileira Duas Rodas, líder nacional na fabricação de aromas e ingredientes para a indústria de alimentos e bebidas, o fórum será 100% online e gratuito. O evento foi criado com o propósito de criar um espaço especial para aprofundar temas de alta relevância para um público abrangente no mercado de alimentos, desde indústrias dos mais diferentes segmentos, transformadores, a confeiteiros e sorveteiros de toda a América Latina. 


Sobre a Duas Rodas: 

Presente em mais de 30 países, a Duas Rodas atua há mais de 95 anos na fabricação de ingredientes para as indústrias de alimentos e de bebidas no Brasil e no mundo. Com mais de 10 mil clientes, a empresa possui um portfólio com cerca de 3 mil itens divididos em três grandes mercados: o de Flavors, com aromas, extratos naturais, desidratados, condimentos e aditivos e soluções integradas; o de Food Service, com produtos de sorvetes, chocolates, confeitaria e panificação, com as marcas Specialitá, Selecta e Mix; e o de Animal Nutrition, com ingredientes de nutrição animal da marca Statera. Líder brasileira na fabricação de aromas e produtos para a indústria de alimentos e de bebidas, a Duas Rodas foi fundada por imigrantes alemães em Santa Catarina, onde funciona ainda hoje sua sede principal. A companhia conta atualmente com outras duas fábricas no Brasil (Sergipe e São Paulo), quatro na América Latina (Argentina, Chile, Colômbia e México), além de sete centros de pesquisa e desenvolvimento e um Innovation Center. Sustentabilidade é uma das estratégias de atuação da empresa, que conta com produtos com certificações internacionais Kosher, Halal, Produtos Orgânicos e Fair for Life, além de FSSC 22000 e SMETA. 

Compartilhe: