Notícias

20 de março de 2016

Plantas-piloto de alta tecnologia diferenciam Duas Rodas no atendimento à indústria alimentícia

Unidades instaladas no complexo industrial da empresa permitem testar processos e aplicações de ingredientes em pequena escala, tornando a produção de seus clientes mais assertiva.

Não há dúvidas de que, no mercado atual, as empresas que investem constantemente em tecnologia e inovação saem na frente no desafio de atender seus clientes de forma diferenciada. É este o caso da multinacional Duas Rodas, que há 90 anos atua na fabricação de aromas e produtos voltados à indústria de alimentos e bebidas. A estrutura robusta de seu complexo industrial, instalado em Santa Catarina, está entre os principais diferenciais que garantem à companhia a liderança brasileira em seu segmento de atuação. Um dos pontos que se destacam nessa ampla infraestrutura são as Plantas-Piloto, instalações com equipamentos de ponta que permitem que a empresa simule em escala menor, porém dentro dos mesmos parâmetros da indústria alimentícia, condições de processo e a aplicação de seus aromas e ingredientes em produtos que podem vir a ser produzidos nas fábricas de seus clientes.

“Trata-se de algo muito importante na nossa estrutura interna, pois com as plantas-piloto podemos oferecer um atendimento exclusivo aos projetos dos clientes, além de desenvolver nossos produtos de forma muito mais assertiva, ágil e com economia de recursos”, explica Carlos Bartz, gerente de atendimento técnico da Duas Rodas.

Essas plantas-piloto de atendimento técnico ao cliente, voltadas à simulação de produção e aplicações em produtos, ficam instaladas no CTA – Centro de Tecnologia e Administração e estão divididas em 10 diferentes categorias de produtos: frigoríficos (carnes/embutidos), sorvetes (massa e picolé), biscoitos, bebidas UHT (lácteas, sucos, isotônico, etc), refrigerantes, molhos assépticos, margarinas, pastilhas (comprimidos efervescentes e confeitos), drageados (nuts, pastilhas, etc) e chicles.

Um diferencial dessa estrutura de produção-piloto da Duas Rodas é que todos os laboratórios ficam concentrados em uma mesma unidade dentro da empresa, o que garante que garante mais agilidade e uma dedicação bem próxima dos profissionais envolvidos. “A Duas Rodas é conhecida por contar um staff técnico invejável dentro do seu segmento de mercado, e o fato de termos essa mega estrutura em um único local permite que os projetos contem com o know-how dessas equipes multidisciplinares altamente qualificadas, compostas por profissionais especializados em diferentes áreas do conhecimento”, pontua Bartz.

Essas unidades de plantas-piloto voltadas ao atendimento de clientes também contribuem para estudar e otimizar a performance de produtos do portfólio da Duas Rodas em formulações de artigos para  varejo. Nelas, empresa já desenvolveu, por exemplo, diversas coleções de produtos para apresentação de tendências aos seus clientes, como bebidas ice, snacks drageados, bebidas UHT, pimentas, entre outras.

Plantas-piloto também para processos internos

Além das plantas-piloto voltadas ao atendimento técnico, onde são pensadas aplicações para produtos de clientes, a Duas Rodas conta ainda com plantas-piloto de processos industriais, cuja finalidade é atender às necessidades da própria empresa em termos de suporte fabril e pesquisa de novas tecnologias.

Instaladas no CPA – Centro de Pesquisas e Análises (também localizado no complexo industrial), essas unidades contam com equipamentos que permitem simular operações industriais, tais como: secagem, mistura/dispersão, emulsão, homogeneização, extração, concentração, reação, conchagem para chocolate e moagem.

Entre os equipamentos disponíveis nessas plantas estão: secadores spray dryer, secador de superfície raspada, secador a vácuo, estufa de circulação de ar quente, equipamentos para dispersão e emulsificação, como triblender e ultra turrax T50, homogeneizador, evaporador rotativo,  reatores com sistemas de mistura axial e tangencial, concha homogeneizadora, moinho de esferas e moinho martelo.

“Todos os equipamentos são construídos com os mesmos materiais utilizados na escala industrial, o que proporciona testes e estudos de processo com muita similaridade com a unidade industrial. Este local também é utilizado na produção de amostras em pequena escala enviadas aos clientes para testes de mercado”, explica Walter Teriet Junior, especialista de processos do Innovation Center da Duas Rodas.

Outro ponto de destaque destas plantas é o fato de elas serem a porta de entrada para testes de novas tecnologias de processo e que posteriormente poderão ser aplicadas na unidade industrial gerando valor diferencial aos produtos Duas Rodas. “A unidade passa por frequente atualização tecnológica e de novos processos, com o objetivo de antecipar novas soluções para o mercado”, completa Walter.

Fonte: Assessoria de Imprensa Trama