Tempo de leitura: 4 minutos

Em contraponto à vida cada vez mais urbana e digital, a tendência por naturalidade na alimentação tem avançado de forma consistente nos últimos anos, apresentando-se uma forte vertente no movimento dos consumidores em busca de saúde e bem-estar


 

Os novos hábitos da população, impulsionados pelo ritmo de vida cada vez mais frenético, conectado e urbano, está promovendo uma profunda transformação nos estilos de vida em todos os cantos do mundo. Na sede por gerenciar aspectos como o estresse e encontrar compensações, as pessoas despertaram para a necessidade de mais saúde e bem-estar em suas vidas, buscando na alimentação uma aliada importante para o promover o equilíbrio.

Diferentes movimentos têm fortalecido cada vez mais a saudabilidade como macrotendência nos últimos anos, expressa em múltiplas oportunidades de mercado para atender públicos diversos, gerações e necessidades, promovendo, consequentemente, uma forte evolução da naturalidade na alimentação.

A saudabilidade veio para ficar, atesta a especialista em nutrição Carolina Godoy, gerente de Novos Negócios da Consultoria Equilibrium, em entrevista ao blog Flavors & Botanicals, baseada em números como os divulgados pela Euromonitor International em 2015, confirmando que o mercado de produtos saudáveis cresceu 98% nos últimos cinco anos.

Uma diversidade de contextos tem reforçado a tendência de saudabilidade e naturalidade na alimentação, entre eles:

  • envelhecimento da população e a busca por mais qualidade de vida na terceira idade;
  • interesse maior dos consumidores pela origem dos produtos, pela transparência de processos e pela naturalidade dos alimentos;
  • crescimento dos adeptos a dietas específicas, como a vegetariana, vegana e flexitariana;
  • busca por benefícios funcionais em alimentos e bebidas, etc.;
  • aumento nos diagnósticos de intolerância a glúten e lactose, por exemplo;
  • preocupação com a incidência de doenças como obesidade, hipertensão e diabetes, que tem ditado novas oportunidades para alimentos e bebidas, com apelos como free from e com reduções (sódio, gordura, açúcar, etc.).

Estes comportamentos têm permeado diferentes gerações. Em pesquisa da Nielsen (2016), 81% dos millennials entrevistados disseram que aceitam pagar mais caro por alimentos que ofereçam benefícios à saúde. Levantamento divulgado pela Mintel em 2017 indicou que 89% dos brasileiros acima de 55 anos concordam que vale a pena gastar mais com alimentos mais saudáveis, e quatro em cada cinco brasileiros, 83%, de forma geral, também dividem a mesma opinião.

Para atender grande parte destas demandas de mercado, estudos recentes indicam que formulações baseadas em plantas estão ganhando cada vez mais espaço na dieta dos consumidores, porque as consideram mais naturais e nutritivas, com possibilidade de oferecer benefícios funcionais dentro de conceitos de mood food e plant-based (dietas baseadas em plantas sem ou reduzidos produtos de origem animal).

No mesmo sentido, vem a tendência O Reino Vegetal, apresentada pelo Top 10 Trends 2019, do Innova Market Insights, que aponta para a expansão dos portfólios à base de vegetais neste ano.

E é justamente o apetite cada vez maior por saúde e bem-estar que tem instigado inovações e norteado lançamentos em todo o mundo, explorando apelos como natural, vegano, free from, clean label e benefícios funcionais proporcionados por ativos de plantas, como efeito relaxante ou energizante.

No Brasil, 38% dos adultos brasileiros sinalizaram interesse em bebidas com benefícios adicionados através de ingredientes naturais, por exemplo, chá gelado com guaraná (Mintel 2017).

 

E é justamente o apetite cada vez maior por saúde e bem-estar que tem instigado inovações e norteado lançamentos em todo o mundo, explorando apelos como natural, vegano, free from, clean label e benefícios funcionais proporcionados por ativos de plantas, como efeito relaxante ou energizante.

No Brasil, 38% dos adultos brasileiros sinalizaram interesse em bebidas com benefícios adicionados através de ingredientes naturais, por exemplo, chá gelado com guaraná (Mintel 2017).

Este contexto confirma que os fabricantes de alimentos e bebidas continuam a ter amplo potencial para formular alimentos e bebidas com mais ingredientes naturais à base de frutas, verduras, nozes, grãos, sementes, temperos, ervas e vegetais. E que faz crescer o uso de ingredientes naturais, como aromas, extratos botânicos e desidratados de frutas e vegetais nas formulações de alimentos e bebidas das mais variadas categorias de produtos que estão chegando às gôndolas.

Confira alguns lançamentos pelo mundo que estão explorando alegações de naturalidade:

 

Infusão vegetal
Espanhol, o Pompadour Veggie Mix Infusão de Verduras Relax (Relax Vegetable Infusion) combina os melhores sabores e propriedades de legumes, ervas, frutas e especiarias, e pode ser apreciado como é ou adicionado a preparações de alimentos. Com apelos vegano e de relaxamento, a infusão combina tomate, rosa mosqueta, maçã, cebola, manjericão, canela e maracujá, aromas naturais de ervas
Chá energizante
O chá australiano Raw Essentials Energy Tea é composto por ervas premium, segundo o fabricante, que nutrem, reequilibram e proporcionam um aroma e sabor revitalizantes. É composto por ingredientes como gaba, erva-mate, ginseng, ashwagandha, raiz de alcaçuz e gengibre.
Chá relaxante
O chá indiano Good Sleep, à base de chá verde de camomila de folha, é descrito apelo reconfortante para relaxar a mente e o corpo. O fabricante indica o produto para uma boa noite de sono (Índia).
Smothie gelado
Com apelos 100% natural e vegano, o alemão Farmersland Smoothie Ice Pops contém extrato vegetal de gengibre, aromas naturais, purês e sucos de maçã, melão, espinafre e limão.
Picolé antioxidante
Fabricado na República Tcheca, o picolé Açaico Açai Berry Superfruit é apresentado como uma mistura brasileira original com guaraná. O produto é rico em antioxidantes e ácidos graxos, ômega, contém cafeína, polpa de açaí e aroma natural de guaraná.

E você, como percebe estes movimentos no seu mercado? A sua empresa está antenada a estas oportunidades e investindo na diversificação de portfólio? Conte para nós!

 

Compartilhe o conteúdo
Queremos te ouvir! Comente!