Tempo de leitura: 8 minutos

O comportamento dos consumidores demanda equilíbrio entre alimentos saudáveis e indulgentes, além de considerar o tempo para preparo de refeições, a busca por experiências diferenciadas, a interação via redes sociais e, em países como o Brasil, a situação econômica influenciando a escolha do que vai no prato.


As rotinas alimentares passaram por transformações significativas desde o início da pandemia. Agora, no rescaldo do fenômeno que atingiu o mundo, ainda é possível sentir seus efeitos nos hábitos diários dos consumidores que estão saindo do confinamento para um contexto de maior flexibilização. 

Neste cenário, ao analisar o comportamento de grupos de diversos países, é possível observar não apenas novos rituais e ocasiões de consumo surgirem, como também se tornarem mais complexas. 

Essas ocasiões, dentro e fora de casa, equilibram demandas por alimentos que sejam saudáveis e saborosos, adicionando a essa equação o tempo para preparo de refeições, a busca por experiências diferenciadas, a interação via redes sociais e, em países como o Brasil, a situação econômica influenciando a escolha do que vai no prato.

Café da manhã: a refeição queridinha do momento

Antes da pandemia, o café da manhã era aquela refeição normalmente feita às pressas, a caminho do trabalho ou da escola. Com as famílias reunidas dentro de casa durante a pandemia, o café da manhã ganhou destaque no dia a dia, principalmente na rotina do brasileiro. E mesmo com a volta ao trabalho presencial, essa refeição tende a se manter importante, apontam pesquisas. 

Um exemplo vem do Reino Unido, onde a marca Pret a Manger lançou, no início de 2021, seu primeiro supermercado de variedades com produtos que incluem croissant congelados prontos para assar e granolas. Tudo apresentado com o slogan “Levando alegria para sua casa”. De acordo com a Mintel, fornecedora global de pesquisas de mercado, os principais drivers que têm impulsionado a escolha do café da manhã em mercados como Europa e Reino Unido são:

  • Conveniência;
  • Saciedade;
  • Saúde.

Em alguns países da América Latina, cereais quentes são tradicionalmente conhecidos como alimentos para o café da manhã. 

Voltada para o preparo fácil, a linha de produtos Zanara, da marca colombiana Toning SA, levou essa tradição local em conta e desenvolveu um produto que pede apenas a adição de água quente à embalagem que já contém cereais, leite e outros ingredientes naturais como arroz e quinoa. O produto abre um novo mercado, uma vez que cereais quentes instantâneos não estavam disponíveis no país, além de ser uma alternativa às barras de cereal.

O consumidor foi para a cozinha, mas quer praticidade

Quando o assunto são as principais refeições do dia, como almoço e jantar, a grande mudança deste período foi o preparo dessas refeições em casa. No isolamento, os consumidores foram para a cozinha e colocaram a mão na massa. Mas com as demandas diárias e o trabalho invadindo os lares, também veio a busca por conveniência. E mesmo com a reabertura, este comportamento deve se manter, seja pelo novo hábito incorporado à rotina, a redescoberta pelo prazer de cozinhar ou a economia de custos. 

Um estudo da Euromonitor mostra que 23% das empresas pesquisadas acham que passar mais tempo em casa como resultado da pandemia é uma mudança permanente.

Por isso, atributos como “pronto para aquecer” ou “pronto para cozinhar” facilitam a vida desse consumidor. Segundo o relatório, misturas para jantar registrou o maior crescimento do valor do varejo em 2020, em 21%. Este número refere-se justamente ao aumento de demanda por kits de refeição.

Outra solução é oferecer produtos para a preparação de lanches em casa, que permitam algum tipo de ritual, criando um momento de satisfação e relaxamento. 

Quem apostou nesta estratégia foi a Holistix, marca com foco em produtos naturais e ayurvédicos. 

Um deles é o Ritual da Manhã, que vem com um raspador de língua de cobre para auxiliar na higiene e saúde bucal, um diário para estimular o hábito de escrever e o Golden Mix, um pó para o preparo de bebidas quentes ou frias com propriedades anti-inflamatórias  e antioxidantes.

Além disso, a indústria de alimentos também deve considerar a compatibilidade com os utensílios domésticos ao desenvolver novos produtos, pensando na conveniência e em etapas mais curtas de preparação, alerta a pesquisa da Euromonitor. 

Ressurgimento do consumo on the go

A pandemia gerou muitos desafios para o setor de consumo on-the-go. No entanto, com a flexibilização e volta das pessoas ao trabalho presencial, ou mesmo em momentos de lazer fora de casa, essa demanda voltará a crescer em breve. 

Estudo da Mintel indica que, além da conveniência da portabilidade, esses alimentos devem apresentar atributos como controle de calorias e porções individuais, pensando inclusive na preocupação com a higiene. No Reino Unido, por exemplo, segundo a mesma pesquisa da Mintel, 50% dos consumidores de bebidas à base de suco estariam interessados em smoothies vendidos em embalagens únicas, de 150 ml.  

O relatório da Euromonitor também aponta para mais oportunidades de alavancar o consumo de itens on-the-go em outras ocasiões, fornecendo soluções em alimentos compatíveis com o estilo de vida doméstico, para momentos como assistir televisão, jogar videogame, ou mesmo nos intervalos do home office para fazer um lanche. 

Novas experiências sensoriais

A inovação em texturas tem sido uma forma das empresas de alimentos posicionarem seus produtos, especialmente em itens como snacks, salgadinhos e guloseimas, proporcionando novas experiências sensoriais que remetem à indulgência.  

E neste jogo de comidas sedutoras, a aparência se tornou ainda mais importante, até mesmo para suprir a perda de recursos visuais no ponto de venda. Neste sentido, as plataformas de mídias digitais como Instagram e TikTok ajudam a vender os alimentos com cores e formas atraentes e fazem as vezes da loja física. O conceito de comida “pronta para a câmera” serve para despertar a atenção dos consumidores.  

De acordo com o Mintel’s Confeitaria de Chocolate – Brasil, relatório de agosto de 2020, 34% dos consumidores disseram que, em período de isolamento social, experiências como a personalização de alimentos podem ser ainda mais atraentes porque garantem momentos de diversão.

De olho nisso, a KitKat, marca da Nestlé, lançou a loja online KitKat Chocolatory em fevereiro de 2021. Além de ter todos os produtos da marca no site, a loja oferece uma experiência diferente: os consumidores podem personalizar seu pedido com embalagens de vários modelos e tamanhos. O consumidor também pode escolher os sabores que deseja colocar na embalagem e ainda fazer o upload de uma foto para ser impressa no chocolate.

Por momentos de indulgência permissível

Como uma maneira de auto-recompensa emocional pelos reflexos da pandemia, cresceu a demanda por alimentos indulgentes. Assim, surgem oportunidades de promover indulgência por meio de produtos e ocasiões.

Ao mesmo tempo, os consumidores estão cada vez mais atentos aos benefícios que os alimentos oferecem à saúde. Portanto, é preciso encontrar maneiras de equilibrar esses aspectos. Até porque os efeitos da pandemia também pesaram na balança.

Uma pesquisa feita pelo Ministério da Saúde no final de 2020 indicou que quase metade da população brasileira mudou seus hábitos alimentares durante o confinamento.

Ao mesmo tempo, uma pesquisa da Ipsos sobre dieta e saúde durante a pandemia da Covid-19, realizada em 30 países, identificou que os brasileiros são os que mais acreditam ter engordado durante este período. Para este público, há uma tendência em buscar alimentos com atributos voltados para a manutenção da saúde

A indulgência também pode estar aliada à percepção de valor, ou seja, no caso de itens premium, justificar um valor mais alto pelo maior prazer em experimentar determinado alimento ou bebida. 

Mesmo com o bolso mais apertado devido ao contexto econômico, os consumidores ainda buscam itens premium para ocasiões que a Euromonitor chama de “deleite raro”, colocando na cesta produtos que prometem novidade e qualidade. 

Lançamentos que aliam indulgência e saudabilidade

PeaTos
PeaTos - Salgadinhos à base de ervilha, sem ingredientes artificiais e com duas vezes mais proteína e três vezes mais fibra.
Chocolate Vogue
Chocolate Vogue - Contém extrato de camomila para proporcionar sensação de calma.
Mojo Sobremesas Mousse De Chocolate Branco
Mojo Sobremesas Mousse De Chocolate Branco - É feito em pequenos lotes de acordo com uma receita artesanal belga em Nova York. A sobremesa premium com certificação kosher não contém ingredientes artificiais, glúten ou xarope de milho.

Analisar as novas demandas de consumo, levando em conta a alta velocidade com que elas têm se apresentado, é imperativo estratégico para os negócios. É preciso entender com profundidade as necessidades e desejos dos consumidores, suas preferências de acordo com as ocasiões de consumo e, a partir de agora, observar como se dará a dinâmica de refeições dentro e fora de casa. 

É preciso saciar a fome de um consumidor que, de forma geral, demanda por alimentos convenientes, que garantem mais praticidade no dia a dia; experienciais, gerando likes e compartilhamento; indulgentes, como forma de recompensa pelos impactos emocionais da pandemia; e também saudáveis, afinal, a preocupação com a saúde ganhou ainda mais importância desde 2020.

Facebook Comments Box
Compartilhe o conteúdo
Queremos te ouvir! Comente!