Tempo de leitura: 5 minutos

Impulsionados pela revolução nos hábitos provocada pela pandemia, os consumidores estão cada vez mais atentos à saúde mental e emocional e interessados em fazerem suas escolhas priorizando o bem-estar como forma de compensar o estresse do dia a dia


A atenção já crescente das pessoas à saúde e ao bem-estar foi multiplicada pela pandemia da Covid-19, acelerando mudanças de hábitos de 2020 para cá. O forte despertar para a importância do autocuidado e, em especial, com a saúde mental e emocional tem provocado uma revolução nos comportamentos dos consumidores, que identificam nos alimentos e bebidas uma fonte para gerenciar e saciar as suas necessidades, agora ampliadas.

É cada vez mais sabido que, muito mais que nutrir, o alimento proporciona um misto de sensações e emoções, como prazer, alegria, humor, energia, disposição, relaxamento e possibilidade das pessoas vivenciarem novas experiências através de sabores, cores, texturas, além de muitas outras.

O entendimento mais claro de todos estes aspectos que envolvem a comida do dia a dia tem estimulado o interesse em uma alimentação mais consciente e intuitiva, segundo constata a Mintel na pesquisa Global Consumer Trend 2021. O, consequentemente, abre o caminho para a indulgência consciente, uma vez que a comida e a bebida podem ajudar as pessoas a celebrar os bons e também a lidar com os momentos mais difíceis da vida.

58% dos adultos brasileiros dizem que seu bem-estar mental é uma prioridade alta e 27% dizem que é uma prioridade média (Mintel/dezembro de 2020)

“Tendências recentes de dieta têm favorecido menos regras, o que aumentará a adoção de uma alimentação consciente ou intuitiva. Ambos os conceitos ensinam as pessoas a prestar mais atenção ao que consomem e como isso as faz sentir, o que se baseia muito na crescente consciência da saúde mental e emocional”, sinaliza o estudo na tendência Feed the Mind indicada no Global Food & Drink Trends 2021.

As alegações de ‘atenção plena’ e ‘densidade de nutrientes’ ajudarão as pessoas a, cada vez mais, a exercitar o poder de escolha diante as suas necessidades. Com acesso às informações agora cada vez mais simplificadas oferecidas pelas marcas nas embalagens de seus produtos sobre os benefícios do produto à saúde física, mental e emocional, que refletem diretamente no bem-estar, os consumidores se sentem mais empoderados para definirem os produtos alvos de seu desejo. 

E também para bancarem o “eu mereço”, com a compra de produtos indulgentes em busca de alguma satisfação para compensar o distanciamento social, a falta de viagens, de passeios e de outros prazeres da vida. 

“Quanto mais se estuda o comportamento, mais se vê que o conceito de saudabilidade é único para cada um. As pessoas criam com base nos valores e nas crenças que elas têm, na história e cultura alimentar delas. Para mim, por exemplo, comer um pedaço de bolo de chocolate é muito saudável, porque fico feliz com isso, me dá prazer”, sinalizou Carolina Godoy, especialista em nutrição e Head do BHB Foods e Suplementos, em entrevista concedida ao blog Flavors & Botanicals

Esse movimento naturalmente estabelece um universo de oportunidades para marcas investirem em inovações, expandirem portfólio e apostarem em ocasiões de consumo para atenderem às necessidades dos consumidores.

O leque de caminhos a seguir é gigante, passando por novas formulações, que contemplem reduções de ingredientes tidos como vilões ou inclusões de outros com atributos de funcionalidade, mudanças nos formatos e nas embalagens até comunicações mais claras e focadas sobre os ingredientes e também sobre os benefícios do produto. 

Incluindo as categorias consideradas altamente indulgentes, como o chocolate e o sorvete, por exemplo. 

Redução de açúcar, gordura, sódio e, até mesmo álcool, nas formulações – sem comprometer sabor e textura, por exemplo – é um caminho para ajudar os consumidores a manterem a alimentação de forma consciente sem ter que abrir mão das indulgências, que exercem papel importante no equilíbrio emocional das pessoas

E há disposição de compra para isto. Segundo a Mintel, 3 de 4 consumidores procuram indulgência ao consumir um sorvete. Mas 53% tomariam mais sorvete ainda se tivessem opções com baixas calorias e baixa adição de açúcares.

Por outro lado, há espaço para formulações com inclusões de proteínas, vitaminas, probióticos, ingrediente naturais, que tragam o apelo de benefícios funcionais, sem alterar o sabor, oferecendo aos consumidores a oportunidade de tomar sorvete como indulgência permissível, agregando valor ao produto final.

Proporcionar novas experiências com combinações de sabores, texturas inusitadas e kits gourmet pré-prontos nas mais variadas categorias também integram a lista de alternativas ao alcance das indústrias para satisfazer o desejo dos consumidores por indulgências em seu ambiente doméstico.

Confira, a seguir, alguns exemplos de apostas de marcas que encontraram alternativas interessantes para seguir proporcionando aos seus clientes a indulgência da qual não abrem mão.

Sem culpa
A norte-americana Halo Top tornou-se campeã de vendas com os seus sorvetes com menos açúcares, calorias e mais proteínas que os convencionais, expondo em destaque na embalagem a quantidade de calorias, mas sem deixar de lado a indulgência, apostando em uma variedade de sabores tentadores, como cheesecake de chocolate, donut, cookies & cream, caramelo, entre outros.
Para o dia a dia
A Ambev lançou recentemente a for/me, marca de bebida funcional, feita sem conservantes artificiais, sem adição de açúcar e com doses diárias de vitaminas em três versões: Enhance for/me; Charge for/me e Chill for/me. Segundo a fabricante, a for/me nasceu do entendimento das principais necessidades dos consumidores, que indicaram a busca por opções de bebidas saudáveis que tenham algum benefício real: seja contribuir para aumentar a imunidade ou mesmo auxiliar na disposição e no relaxamento. Tudo isso com muito sabor e praticidade.
Menos álcool
Outro posicionamento para escolhas conscientes pode estar alinhado à redução do consumo de álcool. É o que aposta a Negroni com o spirity cocktail Mindulf Negroni, nos Estados Unidos.
Diversão
Indulgência também é sinônimo de diversão. Para proporcionar momentos de prazer aos consumidores, as marcas também podem pensar em formatos diferentes para atender aos desejos de seu público. No Reino Unido, a rede de supermercados Waitrose expandiu suas degustações de vinho virtuais e aulas de culinária e introduziu kits de coquetéis de edição limitada, que incluem os ingredientes principais e os utensílios para fazer coquetéis de gim ou de uísque, junto com os respectivos destilados artesanais premium da House of Suntory.

Os movimentos por uma saúde mais holística, que abranja todos os aspectos do bem-estar, têm impulsionado o interesse em uma alimentação mais consciente e intuitiva, contemplando inclusive a indulgência consciente. Para você, as marcas estão atentas às oportunidades que podem ser exploradas a partir destes novos comportamentos? Conte para nós!

Compartilhe o conteúdo
Queremos te ouvir! Comente!