Tempo de leitura: 6 minutos

Pandemia impulsiona interesse dos consumidores por alimentos e bebidas funcionais que os ajudem a alcançar bem-estar e equilíbrio emocional. O movimento abre oportunidades para diferentes categorias de produtos explorar o imenso potencial da natureza na criação de formulações com mais compostos botânicos.

A pandemia mudou rotinas, hábitos de vida e fez crescer ainda mais o interesse das pessoas de diferentes faixas etárias por produtos que ajudem a superar os efeitos do estresse e do cansaço, a relaxar e a melhorar a qualidade do sono.

As notícias sobre as complicações da Covid-19, especialmente em pessoas com comorbidades e com idades mais avançadas, reforçaram a necessidade de boa saúde física. Em paralelo, o isolamento e as incertezas vivenciadas a partir de março de 2020 fizeram com que as pessoas passassem a valorizar ainda mais o bem-estar, o cuidado com a saúde mental e o equilíbrio emocional.

Estudo recente da Mintel confirma esta demanda: para 58% dos adultos brasileiros, o bem-estar mental é uma prioridade alta.

Para lidar com o estresse e os seus efeitos, algumas pessoas preferem recorrer aos sabores e texturas de snacks ou chocolates, outras têm ampliado a busca por produtos que ofereçam funcionalidade, com ingredientes botânicos, como camomila, erva-cidreira, lavanda.

Um movimento que impulsiona o uso dos compostos botânicos na criação de formulações para auxiliar no equilíbrio da saúde mental e emocional, possibilitando os consumidores a entenderem as conexões dela com a sua dieta.

A natureza nutrindo lançamentos

Em 2020, primeiro ano da pandemia, houve um aumento global de 26% no lançamento de produtos voltados para o alívio do estresse, segundo a Mintel GNPD.

Entre os lançamentos de alimentos e bebidas com claim alívio de estresse e melhora da qualidade do sono, a camomila, a erva-cidreira, o capim-limão e a lavanda encabeçam a lista de ingredientes.

Isto porque as plantas e seu vasto manancial de compostos ativos, por meio de extratos botânicos, desidratados, aromas e óleos essenciais, tornaram-se aliadas estratégicas das marcas na criação e no desenvolvimento de produtos com este apelo.

Um grupo de compostos naturais que ganha atenção para o alívio do estresse é o de ingredientes adaptógenos, entre os quais estão a maca, o manjericão, a ashwagandha, diferentes tipos de ginseng e outros. Há também um grupo de ervas, que apresenta benefícios de relaxamento e potencial de promoção do sono, entre elas as conhecidas camomila, hortelã-pimenta, erva-cidreira, lavanda, o maracujá e o lúpulo.

Um mundo de possibilidades

Até o momento, além dos suplementos vitamínicos e dietéticos, as bebidas quentes como chás e outras bebidas prontas como sucos e bebidas nutritivas podem ser destacadas como as principais subcategorias que entregam essa funcionalidade de “relaxamento”.

Os chás com ingredientes calmantes, como camomila ou maracujá, são exemplos que já estão no mercado de produtos que ajudam a relaxar. Em 2019, 56% de todos os lançamentos globais de alimentos e bebidas com alegações funcionais de estresse/sono estavam na subcategoria chá, segundo a Mintel.

Mas outras possibilidades estão surgindo. As marcas atentas a esta demanda têm um universo de oportunidades para inovar nas mais diferentes categorias de produtos com formulações focadas em funcionalidades para fortalecer o sistema imunológico e ajudar as pessoas a gerenciar seu bem-estar mental e emocional, explorando o conceito de conforto.

Afinal, segundo relatório da Mintel de julho do ano passado, 73% dos brasileiros entrevistados concordam que ter hábitos alimentares saudáveis ​​é tão importante para a saúde emocional e mental quanto para a física.

Marcas que já exploram este conceito

O mercado já evoluiu nesse quesito, porém ainda há espaço para muito mais, aproveitando o imenso potencial da natureza.

Outras categorias podem pegar emprestados ingredientes calmantes populares encontrados em chás de ervas, por exemplo, ou até mesmo em cervejas, como o caso do lúpulo.

A brasileira H2OP Água com Gás Lupulada é um exemplo de bebida sem álcool que começa a explorar este espaço, promovendo as propriedades relaxantes de ingredientes botânicos. No caso da H2OP é o lúpulo que, segundo a fabricante Araucária, proporciona inúmeros benefícios fitoterápicos, incluindo ação antioxidante, antisséptica e calmante (Brasil).

O Leite de Amêndoas com extrato de flor de Camomila é uma aposta da Almo Milk para combater o estresse (Austrália).

A Yochá apresenta a lavanda com um ingrediente-chave para combater o estresse em seu Kombucha Stress Away Earl Grey & Lavender (Cingapura).

O smoothie Innocent Super Smoothie Blue Spark também tem proposta inovadora. Feito de goiaba, abacaxi, maçã e espirulina azul, contém vitaminas B3 e B6 para contribuir para o funcionamento psicológico normal e vitamina C para reduzir o cansaço e a fadiga (Reino Unido).

A Meda lançou bebida calmante à base de extratos botânicos, adoçada com mel e feita com vitaminas adicionadas e 15 mg de canabidiol orgânico de amplo espectro lipossomal (CBD), ingrediente ainda não autorizado no Brasil. Segundo o fabricante, o produto contém L-teanina para aliviar a ansiedade; mistura de vitamina B para melhorar o humor; erva-cidreira para redução do estresse; óleo essencial de lavanda para promover relaxamento e reduzir a inquietação; camomila para um efeito calmante; e ashwagandha para ajudar a reduzir o cortisol (Reino Unido).

Já a sopa ervas Eu Yan Sang promete acalmar a mente e melhorar a vitalidade. Os ingredientes incluem coentro vietnamita, bulbo de lírio, inhame chinês e bagas de goji (Malásia).

Não poderia faltar um chocolate do bem: o Glico GABA Mental Balance Milk Chocolates for Sleep garante melhorar a qualidade do sono por meio do GABA – ácido gama-aminobutírico (Japão).

Para surfar nessa onda, além de criar produtos inovadores, as indústrias terão que se movimentar para provar que os ingredientes têm efeito. De acordo com a Mintel, produtos funcionais apoiados por pesquisas científicas irão liderar o mercado. Outro caminho é lançar mão da tecnologia. À medida que governos e empregadores trabalham para melhorar a saúde pública, surgirá a oportunidade de incentivar a alimentação saudável por meio de aplicativos, jogos e recompensas.

Esse caminho não tem volta, aponta estudo da Mintel. Alimentos, bebidas e serviços de alimentação ainda têm potencial inexplorado para criar formulações mais funcionais para ajudar pessoas de todas as idades a relaxar, lidar com o estresse e a ansiedade e desfrutar de maior bem-estar e equilíbrio emocional.

Para você, as marcas estão abertas para identificar e explorar estas oportunidades? Quais são os principais desafios para lançar novos produtos com funcionalidade? Conte para nós!

Facebook Comments Box
Compartilhe o conteúdo
Queremos te ouvir! Comente!