Tempo de leitura: 4 minutos

Alimentar-se está intimamente ligado aos 5 sentidos: visão, audição, olfato, paladar e tato. Estimular a integração das percepções é receita estratégica para o sucesso de alimentos e bebidas



A degustação de um alimento ou uma bebida vai (muito) além da nutrição. A experiência é resultado de um misto de percepções conferidas pela integração entre os sentidos da visão, audição, olfato, tato e paladar.

Quanto mais sentidos são estimulados no momento da degustação, maior é a sensação de prazer, defendeu a chef Flávia Quaresma, formada em Paris, em entrevista à Revista Food Service News.

 

“O ato de comer é uma experiência sensorial multidimensional. Em poucos segundos, percebe-se uma ampla gama de sensações que têm grande repercussão em um nível perceptivo e criam um conjunto complexo de interações. Obviamente dependendo da comida, algumas sensações predominam sobre outras, e o resultado determina sua aceitação ou rejeição.” Susana Fiszman pesquisadora do Instituto de Agroquímica e Tecnologia de Alimentos (IATA), de Valência, Espanha, em seu artigo científico “Comer: uma experiência sensorial complexa”

 

Na sede de conquistar seus consumidores, o desafio que permeia tanto a alta gastronomia como as indústrias de alimentos e bebidas é o mesmo: agradar literalmente em todos os sentidos, através de um criativo e perfeito alinhamento entre os atributos positivos dos seus ingredientes.

Cientificamente, a relação entre os estímulos físicos e a resposta fisiológica é pouco conhecida, mas a percepção das características dos alimentos parece ocorrer de forma sequencial.


O primeiro passo da alimentação: comer com os olhos

 

O contato inicial de qualquer pessoa com o alimento é o visual. O produto deve encantar o olhar do consumidor, indica a chef Flávia na entrevista, ao lembrar que aparência, cor e textura são fundamentais na escolha de um alimento.

O segundo sentido, o olfato, é estimulado pelos odores, que despertam a memória olfativa.

Audição e tato são acionados na primeira mordida e durante a mastigação, quando entram em ação as percepções sobre textura, temperatura e consistência do produto.

Mas é a percepção conjunta do gosto pelo paladar, do aroma e do sabor, pelo olfato, que vai dar o veredito final sobre o sabor, confirmar todas as impressões gustativas, olfativas e táteis despertadas pela degustação do alimento ou bebida.

 

Alimentação perfeita = Tributos alinhados em todos os sentidos

 

Tão complexo quanto entender as conexões dos sentidos para transformar o ato da alimentação em um momento prazeroso e que atenda às expectativas dos consumidores é ter o alinhamento de características que satisfaçam todos os sentidos em um único produto.

Um biscoito pede um máximo de crocância, uma cor que remeta ao sabor principal (chocolate, por exemplo), isso sem falar do cheirinho (odor) que desperte a memória olfativa e do sabor inconfundível para conquistar definitivamente o consumidor.

Já pensou se este biscoito, em vez de crocante, apresentar uma consistência mole, passando a percepção de estar velho ou murcho? Ou se o sabor não estiver alinhado ao odor característico do produto?

Não atender o conjunto de percepções dos atributos pode promover uma experiência tão frustrante ao consumidor a ponto de condenar o produto ao fracasso.

Diante de um mercado cada dia mais exigente, as indústrias de alimentos e bebidas têm encontrado na análise sensorial, uma disciplina da ciência, importante aliada para o desenvolvimento de fórmulas que conquistem os consumidores em todos os sentidos.

A análise sensorial é  uma ferramenta-chave para as indústrias de alimentos e bebidas por promover investigação minuciosa das preferências e das percepções do consumidor em relação ao produto, através da análise dos sentidos.

 

A percepção dos alimentos está estreitamente relacionada com os cinco sentidos. Quanto maior o alinhamento entre os atributos positivos de cada alimento, de cada bebida, maior será a possibilidade de promover experiências de consumo incomparáveis e que conquistem o consumidor.

Desenvolver produtos que promovam as melhores percepções em todos os sentidos tem sido um desafio crescente das indústrias de alimentos e bebidas para atender ao consumidor do terceiro milênio ávido por novas experiências.

 

Quanto mais sentidos forem estimulados positivamente e de forma integrada por um alimento, maior é o potencial de promover prazer no ato da degustação. E, consequentemente, maior é a chance de sucesso. Por isso, a experiência sensorial é tão importante na  alimentação.


Esta combinação de fatores é considerada no desenvolvimento de produtos por sua empresa?

Compartilhe o conteúdo
Queremos te ouvir! Comente!